segunda-feira, 21 de novembro de 2011

*** Castanhada - 2011 ***

O passado fim de semana estava programado para a apanha da azeitona, mas como choveu e bastante sexta e sábado, não deu para que tal acontece-se.
Sendo assim, fiquei com o Domingo livre ! já que o mesmo se previa com chuva, logo podia ir à “Castanhada”.
Como sabia que a volta era para os meus lados, esperei na Quinta da Pipa pelo grupo, ao qual me juntei pouco depois das 8h da manhã.
Este era composto por: (eu) João Afonso, Abílio Fidalgo, Dário Falcão, Filipe Salvado, Luís Lourenço, Nuno Dias, Nuno Maia, Pedro Roxo e Rui Pires.



Já se está a tornar hábito por esta altura do ano, a lembrança da “Castanhada” partiu do Luís Lourenço, e o percurso foi também ele que o delineou e orientou.
A “Castanhada” iria ser tál como no ano passado, no bar da Associação Recreativa e Cultural do Valongo, por isso o percurso teria que terminar por aí.
Sendo assim, saímos pelo bairro do Valongo (pista de Motocross) em direção à Quinta do Vale, e logo aí fomos brindados ! com uma descida tipo “ peligrosa “ para a ribeira da Eira do Cavalo.



Daqui subimos ao monte Fagundes local este onde tivemos que fazer uma pequena pausa para substituição de uma câmara-de-ar




Seguiu-se a Escuderia e a descida para o ribeiro de Barco com a inevitável passagem onde tivemos que encharcar bem os pés.




Daqui subimos ao monte dos Macarros e descemos até Alfrívida onde fizemos nova pausa agora para o cafézinho matinal e comermos qualquer coisa.




Depois do estômago bem aconchegado, lá seguimos novamente com o Luís “ à frente “ pelo Vale de Alfívida, Charneca e Vale de Pousadas, sempre por estradões apresentando-se estes bastante “ pesados “ devido as chuvas dos dias anteriores, ao ponto de mesmo a descer ouvir sussurrar a alguns ! que tinham que meter a “ avozinha “ brutal mesmo.



Seguiram-se duas passagens pela ribeira dos Tamujais ( uma seca outra molhadinha ) para não variar !



De seguida demos início à imponente subida de cota pelas Barreiras ( a estrear para mim e para a maioria do grupo ) em direção aos Cebolais de Cima onde durante a mesma se ouviram aqui e ali alguns comentários depreciativos ( Hehehe... porque seria ?! ) mas todos em saudável camaradagem.





A foto de Grupo foi tirada em pleno estradão do Talefe do Pato.



Nos Cebolais de Cima despedimo-nos do Filipe, pois este estava com o horário apertado e regressou a casa. Nós continuamos pelo Retaxo, e aqui virámos à direita, para a última subida do dia agora em direção as Olelas, por um trilho bastante escorregadio.



Reagrupámos lá no alto, dando de seguida início à descida até junto da caseta do Cebolais. Daqui até à Associação do Valongo foi sempre por asfalto e em ritmo acelerado.



Iniciámos a “ Castanhada” com um bride de jeropiga, acompanhado com as castanhas assadas.



Depois seguiu-se uma grelhada mista à base de enchido de porco acompanhada com bebida e umas divinais azeitonas retalhadas.



Conversamos durante algum tempo de assuntos de vária ordem, entre eles a ausencia de muitos companheiros, que por um ou outro motivo não puderam estar presentes, o que é sempre de lamentar.



Despedi-me e regressei a casa eram 13h 30m na companhia do Dário, este seguiu até Tinalhas para junto de sua família.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Para terminar, agradeço aos Amigos deste passeio a companhia, a camaradagem, a gentileza, e o encorajamento que me facultaram, durante toda esta fantástica manhã de BTT.

Divirtam-se !
Até à próxima !
João Afonso.

4 comentários:

Luis Lourenço disse...

Boas
Foi uma manhã bem passada e nalguma parte do percurso a estrear, até para mim em muitas secções, pois nunca lá tinha bttado e a volta também era para eu gostar e gosto sempre de alterar voltas + ou - fixas.
O nevoeiro do inicio na zona da pista de motocross, quinta do vale até a uma peligrosa que teria de ter saída para ser boa, puxou um bocado pelo meu sistema “básico” de orientação, mas lá me safei com um + na caderneta stor (private joke).
A imponente subida de cota pelas BARREIRAS que estava na calha à muito tempo e julgo nunca ter sido “trilhada” por bikes deixa (e bem no meu entender) para segundo plano a famosa Ladeira de S. Gens, é na minha opinião, aliciante e muito bonita pela panorâmica da extensa cumeada, mas molhadinha custa bem mais, è daquelas que faz crescer a barba do inicio até ao fim ...
As faltas na caderneta podiam ter sido menos pois o mail seguiu para 50 e tal caramelos, que perderam uns bons sitios para bttar e conhecer, boa companhia e petisco no final.
A castanhada foi impecável e só temos de agradecer ao amigo Carlos da Associação do Valongo que está sempre disponível para tudo o que se lhe peça, e merece sempre uma visita nossa.
Abraço a todos.
Luis Lourenço

JValente disse...

A minha caderneta lá ficou marcada com uma falta a vermelho... mas nem sempre pode ser como a gente mais gosta ou quer! A vida é assim mesmo!

Pelo que pude ver, a voltinha foi bastante animada, com boas descidas, mas também valentes subidas.

Poderá ser mais uma tradição a manter... "Castanhada" por muitos e bons anos nesta altura do ano!

Abraço a Todos
João Valente

FMicaelo disse...

Muito bom meus amigos. Com pena minha nao fui, pois o patrão não me deixou... mas ele não perde pela demora!... No proximo domingo nao falto!
Novos trilhos, a manter uma já "velha" tradição - Castanhada!
Parabéns pela iniciativa!

Fidalgo disse...

Cinco estrelas ao principio e ao fim, aogora já o meio...estou a brincar. Mesmo aquela subida a pé, vou fazê-la mais tarde montado, basta que o piso esteje mais duro.
Uns trilhos diferentes e bem fixes. Parabens ao organizador o Sr. Eng. Luis Lourenço. Um abraço. Fidalgo.